Policial doa 300 máscaras para servidores do Instituto de Identificação

0
901

Após o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, decretar a obrigatoriedade do uso das máscaras para as pessoas que forem sair de casa, uma policial doou nesta quinta-feira (23) 300 máscaras de pano para serem distribuídas para todos os servidores do Instituto de Identificação da Polícia Civil.

A doação foi feita pela papiloscopista Nádia Regina Coelho que está bastante engajada na prevenção contra o coronavírus. Ela pediu para a sua mãe, que é costureira em Goianésia, confeccionar 300 máscaras de pano, que foram doadas, 2 para cada servidor, com manual de instruções e devidamente embaladas.

Feita com recursos próprios da servidora, a doação foi concretizada três dias após o anúncio da obrigatoriedade da utilização das máscaras no Estado de Goiás (20/04). De acordo com a policial, assim que ela soube que o uso seria recomendado o uso, no próximo decreto estadual, Nádia pediu para a sua mãe confeccionar as máscaras.

“Quando surgiu a possibilidade da utilização das máscaras de pano por falta de máscaras hospitalares, minha mãe fez algumas máscaras para doar em Goianésia. Conversei com ela, contei por cima quantas pessoas tinham no Instituto e quanto dinheiro eu conseguiria investir e ela conseguiu confeccionar esta quantidade de máscaras para doarmos”, explica.

Como foram confeccionadas no interior, Nádia pontua que houve a necessidade de um auxílio para o transporte do material doado. Condução esta que foi conseguida por intermédio do gerente do Instituto, delegado Deusny Aparecido Silva Filho, que conseguiu conversar com duas policiais civis do município, que se dispuseram a trazer as máscaras para a capital.

Conscientização

Ela comenta que tem formação em biologia e tem um certo conhecimento sobre a fisiologia do corpo humano e como o vírus nos utiliza para sua replicação. Então desde o começo ela procurou explicar pros colegas, inserir os novos hábitos de higiene e saúde, e fazer a sua parte contra o coronavírus.

Apesar do seu trabalho de conscientização, ela avalia que ainda há uma resistência. De acordo com a papiloscopista, existem muitos policiais que continuam incrédulos quanto à existência do coronavirus, principalmente depois do pronunciamento do presidente. “Alguns acham que esses hábitos não serviriam pra nada, só baboseira pra vender qualquer coisa e para causar pânico”.

Mas mesmo com a reticência dos servidores, Nádia reitera a importância de cada um fazer a sua parte no combate ao coronavírus. Sempre que pode, ela tenta auxiliar na higienização.

Se puder, fique em casa. Nós estamos trabalhando para que todos continuem saudáveis.

SINPOL LIVRE E TRANSPARENTE!

Artigo anteriorA importância do Policial Civil
Próximo artigoReportagem repercute doação do Sinpol para o combate ao coronavírus

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here