Policiais adiam definição da lei orgânica em busca de consenso

0
783

A Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) realizou, nos dias 6 e 7 de novembro, um congresso extraordinário para tratar de Lei Orgânica Nacional para a Policia Civil. As discussões se basearam no texto discutido pela comissão formada por diretores da entidade e da Adepol-Brasil, que representa os delegados de polícia, mas as entidades filiadas decidiram trabalhar melhor o texto.

O evento contou com palestras sobre o modelo de gestão adotado no estado de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, assim como um esboço sobre os contextos da discussão e o texto base da Lei Orgânica trabalhada com os delegados.

Foram propostas uma série de alterações ao texto de consenso entre Cobrapol e Adepol e, para não se ter uma decisão final sem a devida congruência de ideias e objetivos, a plenária definiu pela suspensão dos trabalhos. Ficou definido que, nos próximos 20 dias, as federações, incluindo a Feipol-Con, a qual o Sinpol é filiado, devem reunir todas as propostas de edição ao texto base, que serão encaminhadas à Cobrapol, a quem caberá deliberar sobre o texto final em reunião marcada para os dias 11, 12 e 13 de dezembro.

“As federações agora assumem o papel de catalisadoras das discussões, buscando a eficiência dos próximos debates para que possamos, no próximo encontro nacional, definir nosso posicionamento sobre o que queremos quanto a uma lei orgânica para as polícias civis de todo o Brasil”, disse Marcilene Lucena, presidente da Feipol-Con.

Segundo ela, é natural que haja divergências. “E acredito que sejam enriquecedoras para a definição de nossos propósitos, pois denota o envolvimento de todos nesse tema que é tão caro para policiais civis, as instituições e a sociedade, que clama por uma polícia investigativa mais moderna, forte e eficiente.”

O texto permanece à disposição dos sindicalizados na área restrita do site do Sinpol para receber sugestão de alteração e também serão organizadas plenárias para tratar da matéria.

O debate contou com representação de todos os estados do Brasil, sendo que algumas entidades participaram consultando suas bases e diretorias e levando para o congresso as propostas desenvolvidas por esses fóruns.

Participaram do evento, representando o Sinpol-GO o vice-presidente Daniel Toledo; os diretores Antônio da Costa (Jurídico), Eufrásia Mourão (Financeira), Lúcio Cláudio (Esportivo) e Jaqueline Santana (secretária-geral). As papiloscopistas Carina Rosa e Sheila Galvão e o escrivão Raul Leoni participaram como observadores/delegados de base.

Artigo anteriorApós denúncia do Sinpol, governo terá que trocar móveis dos escrivães
Próximo artigoPoliciais civis da DERFRVA confrontaram 4 integrantes de uma organização criminosa especializada em furto e roubo de caminhonetes de luxo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here