Polícia Civil deve ter grupo especializado no combate a crimes raciais e de intolerância

0
233

O aumento de crimes de ódio foi a base para a criação do Grupo Especializado no Atendimento à Vítima de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (GEACRI-GO). O deferimento da Portaria n. 323/2021 foi assinado pelo Delegado-Geral da Polícia Civil, Alexandre Lourenço e espera análise da Superintendência de Polícia Judiciária, da Escola Superior de Polícia Civil (ESPC) e da Secretaria de Segurança Pública de Goiás. 

O titular do Grupo Especializado no Atendimento à Vítima de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (GEACRI-GO) deve ser o delegado Joaquim Adorno, mas a delegacia só deve ser implantada no mês que vem e vai funcionar na Escola Superior da Polícia Civil. A nova unidade não deve atuar apenas no  âmbito criminal, mas também na conscientização da população e resgate da cidadania das vítimas de racismo, discriminação e intolerância, seja ela por cor, etnia, religião, condição, orientação sexual ou identidade de gênero.  

Para a criação do GEACRI, o delegado considerou, entre outros fatos, a ratificação do artigo 5° da Constituição Federal, que destaca a Convenção Interamericana Contra o Racismo, a Discriminação Racial, e Formas Correlatas de Intolerância, crimes que geralmente se manifestam na marginalização e a exclusão de grupos em condições de vulnerabilidade. O grupo vem para somar aos diversos trabalhos desempenhados por policiais civis, com o objetivo de proporcionar ao cidadão uma segurança mais humanizada e respeitosa. 

 

Confira na íntegra a portaria:
SEI_202100007036325

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here