Polícia Civil desarticula organização criminosa na região de Itumbiara

0
1610

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Força-Tarefa composta por equipe da 2ª DDP-Itumbiara e DP-Buriti Alegre, com apoio logístico das demais Delegacias que fazem parte da 6ª DRP-Itumbiara, deu início, na madrugada de hoje, à Operação Antracnose, visando cumprir 48 ordens judiciais, dentre mandados de prisão Preventiva e busca e apreensão domiciliar.

A ação policial, que se concentra na cidade de Buriti Alegre, inaugura a fase final da investigação que teve início ainda no ano de 2018 e acabou por desarticular a principal e mais perigosa organização criminosa em atuação na localidade, e que vinha travando uma sanguinária disputa com outros criminosos entorno do controle de práticas ilícitas na região – daí a alusão do bando com a praga Antracnose, que ataca as palmeiras de buriti levando à morte da planta.

A Operação contou com mais de 50 policiais civis da 6ª DRP e apoio das Delegacias das cidades de Morrinhos, Caldas Novas, Goiatuba, Joviânia, Pontalina, Bom Jesus, Piracanjuba e das Especializadas GENARC, GEPATRI e DEAM Caldas e DEAM Itumbiara.

Foram capturados os investigados Rael Luca Honorato Alves, Paulo Augusto Telles Gomes,  Thales Telles Gomes, Paulo Henrique Custódio, Marcos Antônio Ribeiro, Maria Beatriz Ribeiro, Bianca Aparecida Ribeiro, Raquel Maria Martins, Ana Paula Vieira do Nascimento, José Aparecido Mendes e Geovana Carolina da Silva, esta encontrada na cidade Goiatuba.

Há ainda outros que terão suas ordens de prisão cumpridas nos dias que seguem, já presos, sendo eles Robert Alves dos Santos, Divino Eterno Venâncio Alves, Valdir Vaz Ferreira Júnior, Iully Pires de Oliveira, Renan Fernandes Batista, Iago Aparecido Costa Silva, Vambaster Soares Marques,  Cleider Ferreira da Silva, Luis Felipe Machado Campos, Thales Henrique Alves Neris, Carlos Eduardo Rosa de Jesus, Marcelo Alves de Morais, Keitillyn Fernanda Sabara Silva, Kaike Marques de Almeida, Viviane Pereira de Lima e Weslei Borges de Carvalho. 

De acordo com as investigações, os líderes da ORCRIM, Robert Alves dos Santos e Divino Eterno Vernâncio Alves, mesmo presos, conseguiam, de dentro do sistema prisional orquestrar todos os passos do bando, emitindo ordens e determinações que eram cumpridas pelos demais investigados, sendo identificadas diversas práticas criminosas ligadas ao grupo.

Foram identificados pelo menos dez pontos de comércio ilícito de drogas que eram patrocinados pela Organização, sendo alguns deles já alvo de ações policiais tanto da Polícia Civil, quanto da Polícia Militar, que redundaram apreensão de considerável quantidade de entorpecente, delitos que são apurados em outros cadernos inquisitoriais.

Além do que é imputado também à organização criminosa a prática de crimes de homicídios, todos ocorridos no segundo semestre do ano de 2018 por conta de disputa com facções rivais, delitos esses que foram tema de ação similar da PCGO ocorrida em Janeiro último.

A investigação contou com irrestrito e fundamental préstimo do Ministério Público e Poder Judiciário da Comarca de Buriti Alegre, bem como com a importante contribuição da Polícia Militar local com informações preliminares que permitiram à Polícia Civil o desenvolvimento da investigação que revelaram o presente cenário.

Os investigados capturados nesta manhã estão sendo apresentados à sede da 6ª DRP e deverão, depois dos procedimentos de praxe, ser encaminhados à Unidade Prisional de Buriti Alegre-GO, onde passam à disposição da Justiça, devendo as investigações ser concluídas nos próximos dias. 

Os investigados Fagner Garcia da Silva, Carlos Fernandes, Alef Domingos da Costa e Maike Rodrigues da Silva não foram encontrados durante a operação ejá são considerados Foragidos da Justiça.

SINPOL LIVRE E TRANSPARENTE!

Artigo anteriorNosso trabalho é proteger o cidadão!
Próximo artigoIII COTE – Curso de Operações Táticas Especiais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here