Polícia Civil prende casal suspeito de fraude bancária, furto qualificado e estelionato

0
924

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), realizou, no início da tarde de 05 de junho de 2019 a prisão de um casal que aplicaria um golpe em uma instituição financeira cujo prejuízo superaria o montante de R$ 300.000,00.

As investigações foram iniciadas após policiais civis do Grupo de Investigação de Estelionato e Outras Fraudes (GREF) ter sido informado pela área de segurança da referida instituição, que uma mulher, acompanhada por um indivíduo, estaria em uma agência bancária situada na Avenida Goiás, nesta capital, estaria fazendo uso de documento supostamente falso e se passando por uma cliente tentando efetuar o saque de R$ 150.000,00, dinheiro este pelo que se sabe oriundo de fraude realizada através de invasão do sistema bancário.

De posse das características dos suspeitos e após alguns levantamentos preliminares, ao chegarem na agência os investigadores visualizaram o casal saindo do local, ocasião que realizaram a abordagem. Logo por ocasião da abordagem a mulher apresentou um documento de identificação civil falso.

Constatada a falsidade, a equipe descobriu que na verdade se tratava de Cristiane Bruno Lares Aredes de Morais (43), a qual na oportunidade confessou que estava na agência bancária com o intuito de sacar a quantia de R$150.000,00 e para isso estaria utilizando documento falso e que receberia 5% do valor apurado na fraude. Ainda, segundo ela teria sido agenciada por Ricardo Lazaro Cardoso (44), o qual também foi abordado na ocasião.

Durante as diligências os investigadores constataram que Cristiane havia praticado no dia 04 de junho de 2019 o mesmo golpe, ocasião em que já haviam sido sacados outros R$150.000,00 em uma agência localizada na Avenida T-63, nesta capital. Com eles foram apreendidos documentos falsos, extratos bancários comprobatórios das fraudes e outros.

Ambos foram autuados pelos crimes de furto qualificado mediante fraude (consumado e tentado) e uso de documento falso. As investigações continuam e novas prisões podem ocorrer a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here