Policia Civil de Goiás prende autor de feminicídio que se escondia no Rio Grande do Norte

2
1702
Familiares de Ariane prestaram homenagens aos policias civis.

Conclusão do caso foi apresentada nesta quinta-feira (1°), pela Delegacia de Homicídios. Família da jovem falecida esteve no local, e fez homenagens aos policiais envolvidos na resolução do caso.

A Policia Civil de Goiás (PCGO) prendeu Flávio Antônio de Oliveira, acusado de feminicídio contra Ariane Irene Lemes Vieira. O crime ocorreu no dia 19 outubro de 2008, na Vila Canaã, de Goiânia e desde então ele estava foragido. Flávio esteve escondido em Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Segundo as investigações, após passar cerca de cinco anos agredindo e ameaçando Ariane, após o fim do relacionamento, ele acabou matando a vítima a facadas. Segundo informações da Polícia Civil, o motivo seria que Ariane se negava a reatar o relacionamento com Flávio.

Após o ocorrido, Flávio fugiu para a cidade de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. Na cidade ele conseguiu uma nova identidade e permaneceu alguns anos na cidade. Para dar continuidade a fuga, Flávio se mudou para o estado do Pernambuco, se estabelecendo em Recife. Na capital ele adquiriu uma nova identidade, e recentemente mudou-se para uma nova cidade, onde desta vez acabou sendo encontrado pela PCGO, em Goianinha, a 229 quilômetros de Natal (RN).

Segundo relatos de alguns familiares, o autor do crime fez várias ameaças contra os familiares da vítima e, por essa razão a família está amedrontada e clamando por justiça. Com a prisão, mesmo dez anos depois, a família acredita que a justiça está começando a ser feita. Como em 2008 não existia o crime de feminicídio, Flávio vai responder por homicídio qualificado e uso de documento falso.

 

Artigo anteriorBoletim Geral de Notas nº 001-2019 – GDGPC
Próximo artigoSuspensa incidência de IR em AC4

2 COMENTÁRIOS

  1. Só esqueceram de informar que quem efetuou a prisão, foi a policia militar do RN, eu estava com meu filho no hospital, abandonei tudo, quando recebi o chamado, através de uma fonte que não posso informar o nome. não estou aki querendo tirar o mérito de ninguém, até pq o serviço de investigação, pela PC de Goiás, foi muito bem feito, porém, não vamos esquecer o nome da Gloriosa Policia Militar do RN, em especial a 3ª cia do 8º BPM, a qual faço parte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here