Assembleia delibera pela criação de comissão para acompanhar proposta

0
1496
Os membros da mesa, que colheram sugestões dos agentes

A assembleia conjunta entre o Sindicato dos Policiais Civis de Goiás (Sinpol-GO) e a União Goiana dos Policiais Civis (Ugopoci), realizada nesta quarta-feira (30), deliberou pela criação de uma comissão formada por policiais civis que, juntamente com representantes das duas entidades de classe, irão no prazo de 30 (trinta) dias colher mais informações e definir pautas e sugestões para serem enviadas à Comissão de Estudos da Polícia Civil, que busca alterar os critérios de promoções da categoria.  

A comissão deve conter dez integrantes indicados até a próxima semana, e terá dois representantes de cada seguimento policial: agentes, escrivães e papiloscopistas, além de outros dois representantes do Sinpol e da Ugopoci 

Os policiais foram convocados na semana passada a participarem da apresentação da minuta da lei que visa alterar os critérios de promoção que são hoje subjetivos, mas que deverão se tornar mais objetivos com base em avaliações específicas. No entanto, ainda há um grande impasse sobre como poderão ser melhor definidos os critérios de pontuação adotados na proposta que deve ser enviada à Assembleia Legislativa de Goiás.  

O projeto foi apresentado pelo presidente do Sinpol, Paulo Sérgio, o presidente da Ugopoci, José Virgílio, pelo delegado de polícia Breynner Vasconcelos e o delegado da Gerência de Identificação, Deusny Aparecido, que foram sabatinados pelos policiais e que responderam várias questões sobre como o projeto acatará as sugestões.   

Na apresentação Paulo Sérgio salientou a importância dos policiais estarem atentos ao que está acontecendo para participarem dos debates. “Nós já obtivemos informações e discutimos algumas questões com os policiais e hoje conseguimos deliberar sobre três pontos: de manter o debate, de criar a comissão e de prorrogar o prazo para enviarmos as nossas demandas”.   

Este ponto também foi lembrado por Virgílio. Para ele o critério atual de promoção é uma “injustiça” e a ascensão a carreira se trata de um anseio de quem está a mais de 30 anos na Polícia Civil. “Nós aguardamos a mudança na forma de concessão das promoções, saindo de critérios subjetivos para critérios mais objetivos” e para isso, foi feita uma pesquisa muito longa sobre a carreira de todos os policiais do Brasil, para que chegasse aos pontos de alteração.   

Debate 

Paulo Sérgio reitera a importância de que, com este projeto que está sendo elaborado, o princípio da meritocracia seja respeitado e não mais será uma questão subjetiva que define a progressão. Ele, porém, entende que alguns pontos precisam ser debatidos, porque os novos critérios também podem beneficiar alguns policiais em detrimento de outros.   

Para o presidente do Sinpol, os distritos são diferentes e têm suas peculiaridades, que vão desde seu efetivo policial, até mesmo a quantidade e qualidade dos veículos que estão disponíveis. “Tem que ser levado em consideração a quantidade reduzida de contingente a fim de que se evite a ocorrência de injustiças”.   

O presidente, inclusive, foi sustentado pelos policiais, que tinham nesta a principal demanda de questionamentos aos conselheiros da comissão que está elaborando a lei. Entre as sugestões e demandas dos participantes estiveram vários questionamentos que variaram desde as situações diferentes de cada unidade policial, até mesmo ao exercício de cada função.  

Breynner, que faz parte da comissão que está elaborando a lei, defendeu a propositura. Ele afirma que nenhum policial está feliz com o método que está em voga e por isso havia a necessidade da apresentação deste projeto. “Há quem diga que este projeto é inviável, mas o que não podemos é deixar como está”, defende o conselheiro, que colheu várias sugestões dos que se fizeram presentes.   

Nos distritos ele explica que, em ações extraordinárias, em cada remessa você vai pontuando, enquanto nas especializadas, que demanda um maior tempo para investigações, as pontuações ficarão diferentes.  

Os agentes que quiserem entrar no debate acerca deste projeto podem enviar sugestões por meio de comentários na postagem sobre a minuta da lei. 

Artigo anteriorINFORMATIVO – TRIBUTAÇÃO AC4
Próximo artigoDERFRVA desarticula laboratório de falsificadores em Goiás

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here