Diretor Geral da Polícia Civil responde a ofício encaminhado pelo SINPOL, ao Secretário de Segurança Pública

0
140

Senhores policiais, já no fim do expediente da última sexta-feira (10/06/16), o SINPOL obteve resposta do ofício n. 21/16, protocolizado na Secretaria de Segurança Pública de Goiás, no dia 20/05/16, no qual encaminhamos algumas das demandas dos policiais civis do Estado.

A resposta ao referido expediente não foi realizada pelo Senhor Secretário, mas pelo Diretor Geral da Polícia Civil Álvaro Cássio.

No expediente enviado à entidade, a Diretoria tentou responder aos 16 (dezesseis) quesitos constantes do ofício remetido ao líder da SSP.

Cumpre-nos informar que reconhecemos o esforço de nosso Delegado Geral, que sempre se dispõe a nos receber e discutir algumas demandas que lhe são apresentadas, quando as mesmas são de sua competência sanar, contudo, a resposta apresentada não é suficiente, sobretudo quando observamos “termos” tão comumente utilizados há anos pela Administração Pública, tais como “está em estudo”, “está em discussão”, “está em andamento processo de licitação”.

O que observamos é a falta de eficiência e ações urgentes, ainda mais quando vemos inúmeros projetos de lei enviados à Assembleia Legislativa e que são votados em regime de urgência, aferindo valores a salários de servidores de outras esferas, como foi o caso do auxílio alimentação aos servidores do DETRAN, ou ainda as constantes suplementações destinadas às propagandas no âmbito da Secretaria de Segurança Pública, enquanto questões relativas aos policiais se arrastam por anos e anos, sempre ampliando nossas mazelas.

Ora, parece-nos zombaria, deboche, fazer-nos crer em algum empenho por parte do Governo que esteja buscando amparar os policiais civis do Estado. Prêmios ofertados a Delegacias não são capazes de quitarem dívidas de nossos policiais. É preciso seriedade e esforço no sentido de agregar ao subsídio do policial, condições minimamente decentes para que ele possa persistir em laborar com o empenho tão evidente que temos visto. Em algum momento esse descaso fará nossos policiais dizerem não e então a cooperação tão amplamente divulgada pela própria Secretaria de Segurança Pública será de vez aniquilada, pois nenhuma relação de troca se estabelece sem a reciprocidade.

Cumpre-nos ainda destacar que o retroativo arguido como tendo sido pago na folha de maio do corrente ano aos promovidos, referente à promoção de julho de 2015, não ocorreu em sua totalidade, haja vista que os promovidos receberam tão somente os meses de janeiro e fevereiro, restando ainda outros seis meses a serem pagos, razão pela qual os policiais tem recorrido à Justiça.

Ademais, a que se pese ter buscado responder sobre os temas: retorno das duas promoções anuais, aposentadoria especial e desvinculação das parcelas do reajuste do aumento da receita líquida, vê-se que mais uma vez o então Governador descumpre acordo firmado com as entidades classistas após o movimento Produtividade Zero, haja vista que foi o próprio Chefe do Executivo quem nos trouxe a oferta e agora recua de sua palavra.

O SINPOL enquanto entidade representante legítima dos policiais civis do Estado de Goiás lamenta profundamente a ineficiência, o descaso e o esquecimento a que seus representados tem sido submetidos, contudo, mantemos a luta em prol das melhorias que se fazem imediatas e persistiremos na luta travada de valorização da categoria.

SINPOL LIVRE e TRANSPARENTE

Artigo anteriorDoe Sangue
Próximo artigoSinpol lança segunda etapa de campanha de valorização do policial civil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here