Secretário de Segurança Pública se recusa a receber diretores do Sinpol

0
122

O secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton Figueiredo, não permitiu, na tarde desta quarta-feira, 14, a entrada de diretores do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol) para participar de uma reunião convocada pela própria pasta com representantes de todas as categorias que compõem as forças de segurança pública de Goiás. Ele recebeu representantes de aproximadamente dez entidades, mas não permitiu o acesso dos diretores do Sinpol à reunião. O Sinpol reúne quase 70% dos segmentos da segurança pública e é o único representante legal dos agentes de polícia, escrivães, papiloscopistas, auxiliares de autopsia, auxiliares de laboratório e fotógrafos.

A recusa se deu na véspera da assembleia geral marcada pelo Sinpol para, entre outros assuntos, discutir os próximos rumos das lutas da categoria, que desde abril deste ano movimenta as redes sociais com a Campanha de Valorização do Policial Civil, que retrata as verdadeiras condições de trabalho dos policiais no Estado.

Imediatamente após o incidente – a reunião estava marcada para as 16 horas –, o presidente do Sinpol, Paulo Sérgio Alves de Araújo, comunicou a situação à direção da Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), que fará denúncia à Organização Internacional do Trabalho (OIT) por entender que ela constitui atitude antissindical, já que a autoridade se recusou a receber representantes da entidade legalmente constituída para representar os policiais civis. “Isso deixa claro que o secretário não quer dialogar, que trata os policiais civis com atitudes antidemocráticas e ditatoriais”, diz Paulo Sérgio. “Ele mostra também que não está preparado para gerir a segurança pública do Estado, muito menos para ser governador”, afirma.

A reunião aconteceu no Palácio Pedro Ludovico Teixeira. O presidente do Sinpol, Paulo Sérgio, e o diretor jurídico do Sindicato, Antônio da Costa, foram impedidos de entrar. Paulo, então, sugeriu que apenas Antônio participasse, mas a sugestão também não foi aceita. O caso será levado aos policiais civis na assembleia geral da categoria que está marcada para as 9 horas de amanhã, quinta-feira, 15, na Câmara Municipal de Goiânia.

SINPOL LIVRE E TRANSPARENTE!

Artigo anteriorPoliciais civis de todo o País protestam em Brasí­lia
Próximo artigoPoliciais definem em assembleia próximos passos da categoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here