Sinpol-GO participa de reunião com lideranças sindicais de Goiás e o deputado Daniel Vilela

0
195

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol-Go), Paulo Sérgio Alves de Araújo, participou, na manhã desta terça-feira (14), de uma reunião com lideranças sindicais de Goiás sobre a PEC 287. A proposta dispõe sobre mudanças na Previdência Social e retira do texto constitucional o artigo que reconhece a atividade de risco dos profissionais de segurança pública nos critérios de concessão de aposentadoria. Presidente da Comissão Especial da Reforma Trabalhista na Câmara dos Deputados, o deputado federal Daniel Vilela (PMDB) também participou do encontro, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), no setor Central, em Goiânia.

As perdas dos trabalhadores com a reforma da Previdência, da forma como foi encaminhada pelo governo federal ao Congresso Nacional, dominaram as discussões. Uninememente, os dirigentes de centrais sindicais e também dos sindicatos se manifestaram de forma contrária à PEC. O presidente do Sinpol ressaltou que não se pode tratar os desiguais de forma igual, sob pena de cometer grande injustiça, como é o caso da aposentadoria especial dos professores e da aposentadoria policial, que acabariam, pela iniciativa do governo.

“Essa reforma é um retrocesso de mais de um século. Por isso, temos a certeza de que deputado Daniel Vilela estará ao nosso lado, por ser um político visionário, jovem e com intenções políticas futuras”, destacou Paulo Sérgio. Que ele vote contra para não deixar que esse desmanche passe pelo Congresso Nacional”, apelou o presidente do Sinpol.

Daniel Vilela observou que não há grande conflito em relação à proposta de reforma trabalhista, cuja comissão ele preside, mas adiantou, durante o evento, seu posicionamento e antecipou voto contrário à PEC apresentada pelo governo federal. Ele inclusive acredita que a chance de rejeição da proposta é grande hoje. “A bancada do partido já se reuniu. Mesmo havendo um grande desconforto político, hoje meu voto é contrário”, afirmou. O deputado também se dirigiu ao presidente do Sinpol e disse ser contra tratar os desiguais da mesma forma. “Quero falar aos agentes de segurança pública, como já disse ao Paulo Sérgio, que não aceito a forma como vocês estão sendo tratados, assim como os professores, nesse processo da reforma da Previdência”, declarou o deputado.

SINPOL LIVRE E TRANSPARENTE!

Artigo anteriorPresidente do Sinpol fala sobre importância da Previdência em audiência pública
Próximo artigoForças policiais vão parar por causa da PEC da Previdência